quarta-feira, 8 de abril de 2009

Os Papéis

São poucas as oportunidades
Que um homem tem na vida
De mostrar a que veio
De lutar pelo que acredita

Páginas foram viradas
Mas não apagaram a história
Dos muitos que lutaram
Para tentar nos livrar da escória

E lutaram e morreram
E sangraram e pereceram
E suaram e sofreram
E choraram e perderam
E gritaram e venceram

Antes de tudo
Sabiam o que lhes cabia
Não se omitiam das responsabilidades
Quando não se lutava, é que se morria

¿E quando se está no meio da guerra
Com soldados que não querem lutar?
¿Como fazê-los ver que sua covardia
Ainda haverá de nos mutilar?

A omissão do dia-a-dia
Sobre o bem se informar
Obstará a alquimia
De se unir, organizar

Se em alguns sobra covardia
Como se só eles sentissem medo
A outros resta galhardia
E resguardam os temores em segredo

Defronte a truculência e o autoritarismo
Resplandece forte a verdade:
Uma pessoa só luta por uma causa
Porque sabe que tem responsabilidades

Com seu país, sua gente, sua classe
E não com o chefe, com desculpas, com o capital
Sabe que a pior desgraça do mundo
É a luta insana pelo individual

E no meio do conflito
Vem o abandono e a traição
Mas também vem um forte companheirismo
E a satisfação da verdadeira união

Depuram-se os guerreiros
Os covardes vão para o seu lugar
Não se quer criar mártires
Mas homens que sabem o papel
Que na vida tem de desempenhar

Ante o deserto da covardia
E o lixo da truculência
Os bravos não estão dispostos
A pedir clemência

Que todos escutem
O que temos a falar
Aqui há homens
Que não vão se acovardar


Dedicado a todos os que cumprem e cumpriram com seus papeis, especialmente a Francisco Tojeiro, Vitor Pádua, Marcelo Bié e Élson Rattes.

P.S: Parte da letra foi censurada. Não por medo, mas só pra não queimar cartuchos em vão. Devo frisar, porém, que esta parte pode não estar postada aqui, mas existe.

2 comentários:

Wilson Junior disse...

Pra quem sabe da motivação, fica bem claro.
Pra quem não sabe, serve de motivação de luta.
Muito bom.

Gracielle Barth disse...

Grande Doney,

Há muito tempo não fazia uma visita, muito boa sua iniciativa, já coloquei na minha lista de favoritos pra sempre que precisar de uma dica para um bom livro ter onde me embasar.

Dica: 1808 de Laurentino Gomes, muito bom, acho que vai gostar.

P.S: Muito bom o seu texto!

Gracielle Barth